Progressisti dei social media

Tradotto da Monica Manicardi L’America Latina è infestata da grandi progressisti dei social media. Alcuni con la pelle più dura dicono che sono rivoluzionari. Come in altri tempi, dove la carta tollerava tutto, ora sono i social network. Sono il catalizzatore per eccellenza della nostra mediocrità umana. Dicono che oggigiorno tutti hanno i social, ma no, non chiunque,  solo quelli che possono avere accesso a un computer, a uno smartphone o a un tablet, che hanno la possibilità per pagare internet a casa, il popolo non ha nemmeno accesso a una tortilla salata.    I social network appartengono alla classe media e…

Continuar leyendo…

Social Networks Progressives

 Translated  by Marvin Najarro Latin America is infested with formidable social networks progressives; some with a thicker skin claim to be revolutionaries. As in times past, when paper put up with everything that was written on it, now it is the social networks. They are the catalyst par excellence of our human mediocrity. They say that anyone has social networks nowadays, but no, not anyone, only those who have access to a computer, a smart phone or a tablet, those who have the economy to pay for internet at home, the people, the hoi polloi, do not even have access to…

Continuar leyendo…

Dignifying the Arrabal

Translated  by Katrina Hassan Historically, in the classist and racist societies, the arrabal or the “hood” is where all the evils of the world collide. This is why, whoever comes from the hood, has to be a thief, abuser, racketeer, rapist, murderer and every other accusation that a person can think of. To be rid of these labels is a titanic feat. The stigma is part of the arrabal DNA. To be from the hood is an impediment for getting a good job, to study and to have interpersonal relationships outside of your own kind. People view those coming from the…

Continuar leyendo…

Dare dignità alla periferia

Tradotto da Monica Manicardi Storicamente per la società classista e razzista, nella periferia si uniscono tutti i mali del mondo, quindi, chi viene dalla periferia automaticamente deve essere: ladro, violento, estorsore, stupratore, assassino e tutto ciò che  alla mente umana le viene in mente. Rimuovere questo segno è un compito enorme perché lo stigma è una specie di DNA. Perché essere di periferia diventa un impedimento per trovare un lavoro, per studiare, per stabilire relazioni interpersonali al di fuori di esso. La gente vede una persona di periferia come un criminale a cui prestare attenzione. È escluso l’inserimento. Ecco perché essere…

Continuar leyendo…

Progresistas de redes sociales

Latinoamérica está infestada de grandes progresistas de redes sociales. Algunos con el cuero más duro dicen que son revolucionarios. Como en otros tiempos, que el papel aguantaba con todo, ahora son las redes sociales. Son el catalizador por excelencia de nuestra mediocridad humana. Dicen que cualquiera hoy en día tiene redes sociales, pero no, no cualquiera, las tienen quienes pueden tener acceso a una computadora, a un teléfono inteligente o a una tableta, quien tiene la economía para pagar internet en su casa, el pueblo, pueblo, no tiene acceso siquiera a una tortilla con sal mucho menos a un volado…

Continuar leyendo…

Para a sociedade, a periferia é onde se conjugam todos os males. Como sujeitos periféricos, sejamos a resistência

Tradução do Beatriz Cannabrava, Revista Diálogos do Sul Historicamente para a sociedade classista e racista, na periferia se conjugam todos os males do mundo e, por isso, quem é de periferia automaticamente tem que ser ladrão, abusador, velhaco, violador, assassino e tudo quanto a mente humana possa conceber. Tirar essa marca é um trabalho titânico porque o estigma é uma espécie de DNA. Porque ser da periferia se converte em impedimento para conseguir trabalho, para estudar, para estabelecer relações sociais fora dela. As pessoas veem o povo da periferia como delinquentes com os quais é preciso tomar cuidado. É excluída…

Continuar leyendo…

Dignificar al arrabal

Históricamente para la sociedad clasista y racista, en el arrabal se conjugan todos los males del mundo, por ende, quien es de arrabal automáticamente tiene que ser: ladrón, abusador, extorsionador, violador, asesino y todo lo que a la mente humana se le pueda ocurrir. Quitarse ese señalamiento es una labor titánica porque el estigma es una especie de ADN. Porque ser de arrabal se convierte en un impedimento para conseguir trabajo, para estudiar, para entablar relaciones interpersonales fuera del mismo. La gente ve a una persona de arrabal como a un delincuente del que tiene que cuidarse. Es excluida de…

Continuar leyendo…

Médicos cubanos demonstraram ao mundo que, apesar do bloqueio, resposta está na solidariedade

Tradução do Beatriz Cannabrava, Revista Diálogos do Sul No meio de um sistema putrefato, infestado de corrupção e impunidade que carcome até os últimos alicerces da sociedade guatemalteca e leva à sua passagem as vidas de milhares de vítimas, se destaca uma brigada médica que carrega nos ombros os mais vulnerados, porque chega até onde os médicos nacionais não vão. E são os médicos cubanos dispostos a enaltecer o trabalho de salvar vidas.  Um bando de criminosos que colocam suas marionetas no governo de turno se encarregou de arrasar com os recursos e com isto fazer sucumbir o povo ajoelhado…

Continuar leyendo…

The Cuban Doctors in Guatemala, A Breath of Fresh Air

Translated  by Marvin Najarro In the midst of a rotten system, plagued with corruption and impunity that corrodes the foundations of Guatemalan society and take with it the people’s lives by the thousand, there is, like a breath of fresh air, the medical brigade that shoulders the most vulnerable, because it is present where the national doctors are not. And they are the Cuban doctors, willing to exalt the mission of saving lives.   A bunch of criminals, who place their puppets in any sitting government, have taken on the task of plundering the state’s resources which has caused people to give…

Continuar leyendo…

L’energia dei medici cubani in Guatemala

Tradotto da Monica Manicardi In mezzo a un sistema marcio infestato dalla corruzione e dall’impunità che consuma le ultime fondamenta della società guatemalteca e si porta dietro di se migliaia di vittime, ansima una brigata medica che si carica sulle spalle i più deboli, perché arriva dove i medici nazionali non vanno. E sono i medici cubani disposti a esaltare il compito di salvare vite umane. Un branco di criminali che mettono i loro burattini nel governo di turno ha  incaricato di demolire le risorse e quindi di far soccombere il popolo mettendolo in ginocchio davanti alla  violenza istituzionale, alla fame e…

Continuar leyendo…

El resuello de los médicos cubanos en Guatemala

En   medio de un sistema putrefacto infestado de corrupción e impunidad que carcome hasta los últimos cimientos de la sociedad guatemalteca y se lleva a su paso   las vidas de miles de víctimas, resuella una brigada médica que carga en hombros a los más vulnerados, porque llega a donde los médicos nacionales no van. Y son los médicos cubanos dispuestos a enaltecer la labor de salvar vidas.  Una parvada de criminales que colocan a sus marionetas en el gobierno de turno se ha encargado de arrasar con los recursos y con esto hacer sucumbir a pueblo arrodillado ante la violencia institucional, el…

Continuar leyendo…

Genocídio palestino é realizado há décadas por Israel e humanidade nada faz para ajudar

Tradução do Beatriz Cannabrava, Revista Diálogos do Sul Das ditaduras na América Latina se disse que era muito difícil reproduzir a informação devido à repressão e às limitações técnicas, e o que tinham que fazer os jornalistas estrangeiros eram mil malabarismos para que se conseguisse tirar do país, dar a conhecer e, por isso se ficou tanto tempo no silêncio e no esquecimento.   A tecnologia avançou e os tempos mudaram; vemos hoje a própria população usando seus telefones celulares e reproduzindo em tempo real o que acontece em seus países; as imagens se reproduzem no nível mundial em questão de…

Continuar leyendo…

Reforma tributária foi gota d’água para que Colômbia fosse às ruas buscar justiça pelo fim da ditadura

Tradução do Beatriz Cannabrava, Revista Diálogos do Sul Em 2015 foi a Guatemala, se manifestando contra a corrupção nos sábados de ir tomar sol para bronzear-se.  A América Latina se assombrava de ver a submissa e feliz sociedade guatemalteca rebelar-se finalmente depois de eleger um genocida como presidente; não se manifestavam pedindo justiça pelas vítimas do genocídio, que negavam, mas sim por corrupção. Mas algo é algo, dadas as circunstâncias de uma muito fraca memória histórica. Levaram um gol de placa quando puseram Jimmy Morales na presidência e depois disso foram sozinhos para a matadouro quando votaram também em Giammattei, tão…

Continuar leyendo…

Sotto i nostri occhi il genocidio palestinese

Tradotto da Monica Manicardi Delle dittature in America Latina è stato detto che era molto difficile riprodurre l’informazione a causa della repressione e dei limiti tecnici e che  dovevano farlo  i giornalisti stranieri con tanta destrezza affinché potesse essere rimossa dal paese, resa nota, e per questo motivo rimase tanto nel silenzio e nell’oblio. I tempi in termini di tecnologia sono cambiati, oggi vediamo la popolazione stessa che utilizza i propri telefoni cellulari e riproduce in tempo reale ciò che avviene nei propri paesi, le immagini vengono riprodotte in tutto il mondo in pochi secondi. Tempo che guadagnano i media aziendali che…

Continuar leyendo…